Genética de Precisão para o Melhoramento dos Rebanhos

Data: 25/05/2017 00:31:47 Autor: Nicole Colucci Tramonte e William Koury Filho, zootecnistas da BrasilcomZ - Zootecnia Tropical

Amigos do agronegócio, vocês sabiam que nosso setor é responsável por 21% do PIB Nacional (CEPEA – Esalq/ USP, 2016), sendo 7% diretamente ligados à pecuária? Sabiam que, em 2016, o Brasil foi o maior exportador de carne bovina do mundo e que exportamos para mais de 150 países, cerca de 1,36 milhões de toneladas (USDA, 2016) e arrecadamos, aproximadamente, R$16 bilhões (SECEX, 2016)? Sabiam que somos mais de 2 milhões de trabalhadores, que acordam cedo, praticamente todos os dias da semana, para garantir proteína de qualidade no prato de bilhões de pessoas? Pois bem, caros amigos, somos responsáveis por toda essa geração de riqueza e para continuarmos sendo uma das principais cadeias produtivas do nosso país, o caminho é um só: melhorar a cada safra! Em pecuária de corte, quando falamos em melhoramento, precisamos pensar em todos os aspectos, desde a gestão financeira da propriedade, manejos nutricional e sanitário, até a genética dos animais, fator primordial para a evolução dos rebanhos. Dentro da empresa rural, genética deve ser analisada como insumo, sendo importante desenvolvermos o conceito de genética de precisão, que passa pela correta identificação da aptidão da fazenda e definição de qual raça e linhagens utilizar para gerar os melhores resultados possíveis. O investimento equivocado em genética acarreta um rebanho menos produtivo e/ou não adequado ao sistema de produção praticado. Neste cenário, as avaliações genéticas e morfológicas têm contribuído de maneira significativa para o melhoramento dos rebanhos. Especificamente, quanto às avaliações morfológicas, as metodologias SAM® - Sistema de Avaliação Morfológica e EPMURAS – Retrato Falado® têm auxiliado o pecuarista frente aos desafios da seleção de animais, pois são ferramentas de fácil aplicação e trazem resultados satisfatórios a curto e médio prazo. A aplicação do EPMURAS® pode contribuir com o pecuarista na segmentação de rebanho para seleção ou cruzamento industrial, no direcionamento de acasalamentos e ser utilizado como argumento de venda complementar a outros dados fenotípicos e avaliações genéticas. O SAM® representa um padrão de qualidade na coleta de escores visuais, dentro de lotes de manejo, ao desmame e ao sobreano dos produtos. Assim, sua utilização pode auxiliar o produtor na observação do desempenho dos acasalamentos, na seleção das matrizes que produzem bezerros de melhor qualidade, bem como na identificação daquelas que produzem apenas produtos inferiores. Informações como essas são extremamente úteis para a tomada de decisões de descarte e para a escolha de doadoras. Assim, por meio da correta interpretação e utilização das avaliações genéticas e morfológicas do rebanho e análise do sistema de produção, é possível identificar os pontos fortes e mais fracos, além de definir estratégias de manejo e quais características deverão ser priorizadas para maximizar os resultados, de acordo com os objetivos para cruzamento e para seleção. É, amigos, a realidade do campo, no século XXI, é que o popular fazendeiro adquiriu status de empresário rural, e com isso veio a necessidade de evoluir. Quem não acompanhar os mais ligeiros perderá em competitividade e a saída do negócio será uma questão de tempo. Não há mais espaço para amadores! Sejamos profissionais!